Tratamentos com Laser

São José do Rio Preto

Dra. Aline M. Franzotti Chammas
Dermatologista

CRM: 134350 | RQE: 49830

Assista ao Vídeo

Clique para agendar

O que pode ser tratado com laser?

São manchas escuras, arredondadas, localizadas normalmente em áreas expostas ao sol (mãos, antebraços, face e colo) que podem ser tratadas com Luz Intensa Pulsada ou com uma variedade de lasers ablativos (causam pequenas lesões na pele) ou não ablativos.

São manchas escuras, geralmente na face, mais frequente nas mulheres e relacionadas a fatores genéticos, hormonais (gravidez e uso de anticoncepcionais, por exemplo) e ambientais (exposição solar desprotegida). Nestes casos, apenas alguns tipos de lasers podem ser utilizados com o objetivo de controlar o problema. O melasma tem evolução recorrente e o tratamento deve ser contínuo, sempre associado ao uso regular de cremes clareadores e filtro solar.

O arrependimento após a realização de uma tatuagem é muito comum. Pigmentos utilizados como maquiagens definitivas com resultados estéticos indesejáveis também podem ser removidos. As cores escuras (preto e azul, por exemplo) são removidas com maior facilidade que às claras (amarelo, por exemplo).

Embora os pelos escuros e grossos sejam os que melhor respondem ao tratamento, atualmente a grande variedade de tecnologias disponíveis permite o tratamento de todos os tipos de pelo (exceto os brancos) em todos os tipos de pele (inclusive negra). Embora existam diferenças entre elas, tanto lasers quanto luz intensa pulsada podem oferecer resultados satisfatórios.

Os “vasinhos” na face, colo e pernas podem ser tratados efetivamente com lasers ou luz intensa pulsada. Além dessas lesões menores, outras maiores como os hemangiomas e as manchas “vinho do porto” também podem ser tratadas com estas tecnologias.

Luz intensa pulsada, lasers ablativos (laser fracionado de CO2, por exemplo) e não ablativos, Infravermelho, radiofrequência e outras tecnologias podem ser utilizadas para melhorar rugas e flacidez da pele na face, pescoço, colo, braços, mãos e pernas. Estas tecnologias também podem ser combinadas para que melhores resultados sejam obtidos.

Esse processo faz com que haja um relaxamento das linhas de expressão, ao relaxar esses músculos impedem as rugas dinâmicas, como quando franzimos a testa, ou nas rugas de “pés-de-galinha”, o que tem grande importância na melhora estética quando fazemos aplicação  no rosto, como para o tratamento das rugas.

Tanto as estrias “vermelhas” quanto as “brancas” podem ser melhoradas com o uso dos lasers, principalmente os fracionados ablativos e não ablativos. As lesões antigas, largas e “brancas” são as mais difíceis de serem tratadas.

Aparelhos que combinam radiofrequência, infravermelho, ultrassom, ondas acústicas e outras tecnologias podem ser utilizadas para combater a flacidez da pele do corpo e melhorar o aspecto da celulite. Neste caso, uma alimentação adequada e a atividade física regular são fundamentais para a obtenção e manutenção de resultados satisfatórios.

Ultrassom, radiofrequência, o resfriamento (conhecido como criolipólise) e o uso de lasers invasivos (conhecidos como laserlipólise) podem ser utilizados para a redução do tecido gorduroso localizado no corpo (abdômen e flancos, por exemplo) e outras regiões como a papada. Nos tratamentos corporais, os hábitos de vida saudáveis também são fundamentais.

Uso dos lasers de baixa energia e dos LEDs são eficazes para complementar o tratamento de alguns problemas capilares. Isso porque reduzem oleosidade e inflamação, combatem fungos e bactérias e estimulam o crescimento dos fios.

Quais os tipos de laser e precauções?

São os mais “agressivos” e, por isso, marcam bastante a pele nos dias subsequentes ao tratamento, podendo exigir até mesmo que o paciente fique de repouso por alguns dias.

Esse processo faz com que haja um relaxamento das linhas de expressão, ao relaxar esses músculos impedem as rugas dinâmicas, como quando franzimos a testa, ou nas rugas de “pés-de-galinha”, o que tem grande importância na melhora estética quando fazemos aplicação  no rosto, como para o tratamento das rugas.

São exemplos de laser ablativo o CO2 e Erbium 2940nm. 

São recebidos de maneira mais suave e tranquila pela pele. Um tratamento com esse tipo de laser geralmente permite que o paciente siga com as suas atividades cotidianas normais, até mesmo no próprio dia do procedimento.

Os efeitos no pós-procedimento imediato são um leve eritema e edema que pode durar 2 a 3 dias, sem necessidade de interromper as atividades diárias. O uso do filtro solar durante todo tratamento é obrigatório.

O tratamento é bem tolerado, realizado mensalmente com ótimos resultados.

São exemplos de laser não ablativos o Erbium Glass 1350 nm Solon® e Erbium Glass 1340 nm Ethera®.

É uma tecnologia que emite feixes de luz, gerando calor local que atinge vários tipos de alvos na pele, promovendo promover efeitos benéficos como: rejuvenescimento da pele, por proporcionar aumento na espessura, estimular a produção e reorganizar uniformemente as fibras colágenas e elásticas (responsáveis pela firmeza e elasticidade da pele). Além disso, aumenta a atividade dos fibroblastos (células da derme responsáveis pela secreção das fibras de elastina e de colágeno).

Com isso, a aplicação da luz pulsada na pele envelhecida provoca a redução de telangiectasias (microvasos), rubor e vermelhidão. Também proporciona melhora da aparência de rugas finas e grossas, da textura e aspereza da pele, na redução do tamanho de poros e na secreção de sebo, na elasticidade, na redução da elastose e na diminuição de ceratoses actínicas e manchas.

Está indicado para rejuvenescimento da face, pescoço, colo e dorso de mãos, tratamento de manchas, vasos da face e rosáceas, melhora a textura e a densidade da pele. Utilizado também para clareamento de olheiras.

  • Gestantes
  • Pessoas bronzeadas ou que pretendem ficar expostas ao sol.
  • Câncer de pele ou lesões suspeitas.
  • Uso concomitante de medicamentos fotossensibilizantes.
  • Apresentar particular sensibilidade à irradiação solar ou enfermidades relacionadas com fotossensibilidade (ex. porfiria, erupção a luz polimórfica, urticária solar, lúpus e outras doenças autoimunes, epilepsia fotossensível).
  • Pacientes com déficit de cicatrização
  • Pacientes em uso de Isotretinoína.
  • Pacientes que têm expectativas não realistas.

Deve-se aplicar o protetor solar e evitar ao máximo a exposição ao sol. Será indicado um tratamento de cremes, apropriado para cada paciente, a fim de maximizar os resultados.

Veja outros tratamentos

Bioestimuladores

Toxina Botulínica

Preenchedores