Mamoplastia Redutora

São José do Rio Preto

Dr Danilo Chammas
Cirurgião Plástico

CRM: 134452 | RQE: 50228

Assista ao Vídeo

Clique para agendar

Perguntas e respostas sobre
mamoplastia redutora.

A mamoplastia redutora é um procedimento cirúrgico indicado para reduzir mamas muito volumosas, estando associada a questões estéticas, mas também de saúde da paciente.

A cirurgia de redução das mamas é indicada quando os seios muito grandes prejudicam o bem-estar, a saúde e a autoestima da paciente, podendo ocasionar uma série de problemas físicos e psicológicos devido ao tamanho excessivo.

O peso do tecido mamário pode causar dores nas costas, ombros e pescoço, desconforto, feridas nos ombros devido às alças dos sutiãs e má postura, resultando em problemas graves na coluna.

Dessa forma, o procedimento pode ser realizado tanto para atender fins estéticos quanto para problemas de saúde da paciente.

O que deve ser avaliado é se o tamanho, seja ele menor ou não, é um problema e gera incômodo à mulher. Entre as ocorrências que podem ser atendidas estão:

  • Seios murchos: ocorrência mais comum no caso de mulheres com múltiplas gestações com perda de volume mamário, que pode acarretar em grande insatisfação pessoal;
  • Seios caídos: situação que pode ocorrer com o avanço da idade, amamentação ou também após uma perda elevada de peso; exige a correção com remoção também de pele.
  • Seios assimétricos: mamas de tamanhos diferentes.
  • Falta de harmonia corporal: quando os seios são objetivamente pequenos e incompatíveis com a estrutura física da paciente;
  • Remoção de tecido mamário: nos casos nos quais as pacientes passaram por uma mastectomia em um ou em ambos os seios devido câncer de mama ou lesão na região.

Destaca-se que o desejo pessoal de realizar a cirurgia plástica é um fator importante, sendo que a paciente não deve ser motivada pela opinião de terceiros.

Para iniciar o procedimento, será administrada a anestesia geral. Em seguida será feita a incisão que pode ser em formato de “T” invertido associado a incisão periareolar.

Durante a mamoplastia, o cirurgião plástico realizará a remoção do excesso de gordura, pele e tecido glandular que sejam sobressalentes, obtendo seios mais proporcionais ao corpo da mulher.

Quando necessário, pode ser realizada a redução da aréola ou mesmo a remoção e transplante do mamilo e aréola para a parte superior das mamas. O tecido mamário é reduzido, levantado e modelado, visando obter um resultado natural e simétrico.

Antes de realizar o fechamento das incisões, o profissional faz a reestruturação e reposicionamento das mamas. Por fim, as incisões são fechadas nas camadas profundas do tecido mamário, melhorando a sustentação dos seios.

No geral, a cirurgia não apresenta complicações sérias, no entanto, podem ocorrer algumas condições inerentes de qualquer procedimento cirúrgico, como hematomas, seromas, infecção, necrose de pele e de aréola e deiscência de pontos.

Os exames realizados anteriormente, a execução correta do procedimento e os devidos cuidados no pós-operatório minimizam as chances de que problemas ocorram durante ou após a cirurgia.

Em geral, a cicatriz tem formato de “T” invertido associado a incisão periareolar. Porém qualquer cicatriz passará por diferentes fases:

  1. PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30º dia. Apresenta-se pouco visível e algumas apresentam uma reação discreta aos pontos ou ao curativo.
  2. PERÍODO MEDIATO: Vai do primeiro ao 12º mês. Neste período acontece um espessamento normal da cicatriz, e mudança na tonalidade da sua cor. Pode passar do “vermelho”para o “marrom” mas, aos poucos, vai clareando.
  3. PERÍODO TARDIO: Vai de 1 ano a 2 anos. A cicatriz tornar-se mais clara e menos consistente atingindo, assim, o seu aspecto definitivo. A avaliação do resultado definitivo da cicatriz das mamas deverá ser feita após este período.

O risco de comprometimento do resultado da cirurgia após a gestação é grande devido ao aumento de volume das mamas devido à lactação. Quanto à  amamentação, também poderá ser prejudicada se a redução da mama na cirurgia tiver sido muito acentuada, ou dependendo da técnica utilizada.

Certas pacientes apresentam uma tendência à cicatrização hipertrófica ou queloide. Pessoas de pele clara têm menor probabilidade de sofrer desta complicação cicatricial. Porém existem diversas opções para a prevenção e o tratamento destas cicatrizes que serão prescritos no seu devido tempo de cicatrização.

Existem recursos clínicos e cirúrgicos nos permitem prevenir e melhorar cicatrizes inestéticas, na época adequada. Porém não se deve confundir o “período mediato” da cicatrização normal (do 30º dia até o 12º mês) com uma complicação cicatricial.

Local com sedação ou anestesia geral, dependendo da vontade da paciente

A cirurgia leva cerca de 1h, e a paciente está liberadas entre 6 à 12 horas após a cirurgia.

Geralmente não, mas sempre deve ser evitada a movimentação excessiva dos braços e esforços.

RECOMENDAÇÕES PRÉ-OPERATÓRIAS:

  1. a) Em caso de gripe ou indisposição, avise-nos o quanto antes
  2. b) Comparecer ao hospital para internação em jejum de 8 hs, inclusive de água, obedecendo ao horário estabelecido.
  3. c) Evite bebidas alcoólicas, drogas ou refeições muito pesadas na véspera da cirurgia.
  4. d) Programe-se para um repouso relativo de 4 a 7 dias.

RECOMENDAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS:

  1. a) Evitar esforços nos 7 primeiros dias.
  2. b) Por 30 dias é proibido: movimentos bruscos com os braços, pegar peso, deitar de lado ou de bruços e elevar os braços acima da linha dos ombros.
  3. c) Não se exponha ao sol nem retorne as atividades físicas até a liberação médica
  4. d) Evite as atividades físicas por no mínimo 15 dias.
  5. e) Alimentação normal
  6. f) Suas mamas ainda não estarão com o formato definitivo, por isso aguarde o tempo de no mínimo 3 meses para esta melhor definição.

Veja outros tratamentos

Prótese Mamária

Mastopexia com Prótese

Ginecomastia